Arquivos

Categorias

Home » Áreas do Direito, Destaques, Direito do Menor e do Adolescente, Direito Educacional

Família é investigada há sete anos por pedofilia pela polícia americana

13 maio 2011 No Comment

Especialistas alertam para os cuidados com a segurança na internet.Menores de idade também podem ter que responder numa investigação.

Uma família é investigada há sete anos por pedofilia. O pai conta que na época, o filho, um adolescente de 13 anos estava baixando músicas na internet e se interessou por uma foto que veio num dos arquivos. Ele abriu e era um material de pedofilia. “A partir desse momento ficou como se ele estivesse usando a internet pra ter acesso material de pedofilia”, conta.

A polícia americana que investigava uma rede de pedófilos que agia no Brasil chegou ao computador da família. “A partir daí um trabalho de depoimento na polícia, problema com busca e apreensão, contratação de advogado”, explica.

Tudo o que cai na rede fica documentado. Os computadores têm um número de identidade, o chamado IP. Quando a polícia suspeita de algum conteúdo que está sendo divulgado, rastreia de onde ele partiu e chega ao computador de origem; e até menores de idade podem ter que responder numa investigação.

“Qualquer prática criminosa por um adolescente é chamado de um ato infracional e tem como consequência as medidas sócio educativas, claro que em última instância pode ter sim uma privação de liberdade, dependendo da situação”, declara Carla Rahal Benedetti, advogada criminalista.

O problema é tão sério que a OAB, Ordem dos Advogados do Brasil, elaborou uma cartilha com dicas de como agir para transtornos.

– Não dê informações pessoais como bens e dados bancários.
– Não coloque fotos da família, principalmente de crianças.
– Não mantenha conversas detalhadas com pessoas que vc conheceu na internet.
– Não baixe arquivos desconhecidos.
– Os pais devem ficar atentos ao comportamento dos filhos.

Saiba mais  sobre a cartilha AQUI

No momento em que você coloca uma informação ofensiva, contra a honra de uma pessoa que possa lhe gerar algum mal estar na sua esfera íntima e valorativa, neste momento cessa a liberdade de expressão. As pessoas devem tomar muito cuidado com aquilo que elas escrevem e postam na internet, uma vez que você coloca uma informação na internet ela não sai nunca mais”, afirma Coriolano Almeida Camargo, Crimes de Alta Tecnologia da OAB.

A internet tem o poder de multiplicar informações. Há poucos dias uma adolescente carioca postou um convite para um jantar numa página de relacionamentos pessoais. Chamou algumas amigas. E pediu ajuda para avisar outros colegas. Em pouco tempo o convite se transformou num evento. Gente confirmando daqui e de lá. Em 24 horas já eram mais de mil pessoas. Ela, claro, cancelou tudo.

Fonte: G1- Jornal Hoje-13/05/2011
Imagem pesquisa google
Publicação Valéria Reani   

Comments are closed.