Arquivos

Categorias

Home » Áreas do Direito, Destaques, Direito do Trabalho

Qualidade e Saúde Ocupacional

5 setembro 2010 No Comment

Qualidade é uma palavra simpática para os ouvidos dos bons, soando cruel e impiedosa para os medíocres.

 O gerenciamento da qualidade visa a excelência, promovendo uma pulverização de usos e costumes obsoletos e arcaicos sedimentados pelo tempo, nas organizações.

Devido à multiplicidade de atribuições, ação e decisões, que sobrecarregam os administradores das empresas, implica em que haja uma dispersão de foco na saúde ocupacional e segurança, colocando em plano secundário o ambiente de trabalho que a empresa fornece aos seus funcionários.

Os administradores raramente têm acesso as informações e estatísticas que demonstram a importância das condições ambientais do trabalho e conseqüentemente passam a ignorar o grau de satisfação, motivação e saúde coletiva e individual dos trabalhadores.

As normas Regulamentadoras, especificamente a NR 7 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), a NR 9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e a NR 17 – Ergonomia (é a disciplina científica relacionada ao entendimento das interações entre seres humanos e outros elementos de um sistema), invariavelmente não são cumpridas, em termos de excelência, através dos profissionais integram a Segurança e a Medicina do Trabalho.

Na prática, o acidente quer com afastamento do trabalho ou não, e as moléstias de cunho ocupacional são perdas para o trabalhador, para a família, para a empresa e para a sociedade como um todo.

Desenvolvida com a participação de 13 organizações internacionais a norma OHSAS 18001 (Occupational Health and Safety Assessement Series) tem como objetivo prover as organizações de qualquer segmento comercial e porte, dos elementos de um sistema eficaz da segurança e saúde no trabalho, passível de integração com outros sistemas de meio ambiente deverá haver qualidade de desempenho dos profissionais de segurança e Saúde do Trabalho, além de cumprimento da Legislação em vigor, especialmente a Portaria 3214 de 08 de junho de 1978, na qual estão elencadas as Normas Regulamentadoras; Convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e demais documentos legais relativos à Segurança e Saúde.

A empresa implantadora da OHSAS 18001 deverá dispor de especilistas que entendem os requisitos com exatidão, que conheçam os detalhes das normas Regulamentadoras, integrando aspectos previdenciários, ambientais, e legais. Neste contexto, o médico do trabalho coordenador PCMSO, é recomendável, possuir além da pós-graduação em Medicina do Trabalho, o título de Especialista em Medicina do trabalho através de provas de conhecimento e de títulos, regidos pela Associação Nacional de Medicina Brasileira, comprovando seus conhecimentos e atualizações que naturalmente ocorrem na área prevencionista.

Como características intrínsecas do médico do trabalho, podemos enumerar:

  • Credibilidade;
  • Seriedade;
  • Honestidade;
  • Ética profissional apurada;
  • Determinismo;
  • Dinamismo;
  • Comprometimento inter-setorial;
  • Ampla cultura geral;
  • Conhecimento profundo em questões ambientais e prevencionistas;
  • Fluência em língua inglesa;

A Ferramenta utilizada para manutenção da saúde e melhoria da Qualidade de Vida do funcionário no ambiente de trabalho, através de diferentes ações, como:

  • Laudo Ergonômico;
  • Blitz ergonômica e postural;
  • Intervenções;
  • Avaliação postural;
  • Avaliação do mobiliário e máquinas;
  • Outras.
Postado por Valéria Reani
Imagem pesquisa google

Comments are closed.