Arquivos

Categorias

Home » Áreas do Direito, Direito Eletrônico, Notícias

SP quer monitorar presos do regime semiaberto com tornozeleiras

14 setembro 2010 No Comment

Governo do estado pretende licitar equipamento em 30 dias.
Novo esquema de segurança custará R$ 41 milhões.

O governo de São Paulo vai monitorar até 4,8 mil presos do regime semiaberto por meio de tornozeleiras eletrônicas. O contrato com o consórcio vencedor da licitação para a prestação do serviço deve ser assinado em 30 dias. Os cerca de 3 mil detentos que diariamente deixam as prisões para trabalhar serão vigiados por meio do equipamento.

Por enquanto, só nas cinco saídas anuais de presos para a visita de parentes a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) pretende manter sob controle o número máximo de presidiários previsto (4,8 mil). O preço do novo esquema de segurança será de R$ 41 milhões, a serem gastos durante os 30 meses do contrato.

“Testamos o sistema nos últimos dois anos e, desde que nenhum novo contratempo apareça, assinaremos o contrato em 30 dias”, afirmou o secretário da Administração Penitenciária, Lourival Gomes. Ele se refere a recursos judiciais ou administrativos das empresas derrotadas na licitação.

São Paulo seria o primeiro estado a monitorar os detentos que saem diariamente das prisões. No dia 16 de junho, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que permite o monitoramento eletrônico dos presos que estão nos regimes semiaberto e aberto.

Rio Grande do Sul

Quinze condenados que cumprem penas no regime aberto estão portando tornozeleiras eletrônicas desde o fim do mês passado no Rio Grande do Sul. Eles se ofereceram como voluntários para testar o equipamento por 30 dias, período que a Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) usará para avaliar o sistema de vigilância a distância e decidir se ele será adotado ou não.

Como a expectativa é otimista, o governo gaúcho acredita que lançará o edital para aquisição de aparelhos na primeira quinzena de agosto, duas semanas depois do encerramento dos testes. A intenção é ter mil condenados dos regimes aberto e semiaberto usando a tornozeleira até o início de 2011 e 5 mil até o fim de 2014. Como parte deles terá direito a dormir em casa, a perspectiva é de redução da superlotação dos presídios e dos albergues.

Fonte G1
Publicação Valéria Reani

Comments are closed.